quarta-feira, 26 de novembro de 2008

OS BELOS, OS FEIOS E OS ANIMAIS DE QUATRO PATAS (SANIO)


Por In.Sannio


Bem amigos...
Finalmente o povo brasileiro teve um "bom" motivo para sorrir!
Dia 19/11/08 a seleção brasileira, esteve em campo.
E aplicou uma "chinelada de gols" nas redes do atual goleiro português!
6x2!!!...
Deu até pena do gajo!!
Só o tal de Luís Fabiano fez 3!!!!
Apesar de muita menininha (a velha figura de linguagem!), ter ido a o jogo só para ver o Cristiano Ronaldo.
Que goleada que nada!!
As raparigas,estavam + interessadas em levar pelo menos um pedaço do moço para casa!!
E contrariando a máxima:"Santo de casa,não faz milagre!"...Káka jogou muito!!!
E metrosexual,por metrosexual...Sou + o Káka!!
Rãn!Rãn!...Agora cortando esse papo "boiolês"...
Quem saiu feliz do estádio foi o nosso estimado treinador!...
Saiu mais feliz que piá novo em casa de china!!!
(Aliás...alguém viu o jogo???)
E o tal de Luís Fabiano conseguiu "levantar a bolinha" do nosso ilustre comandante!
Fez até pararem de chamar o índio velho de burro!!!
Tinha gente achando até que esse era o sobrenome do técnico!!!
Esse tal de Luís Fabiano é f@#* mesmo!!!
Imaginem, o quê ele poderia fazer a favor da imagem de certas autoridades políticas,atuantes aqui no estado(RS)????
Porque aqui os adjetivos com tais políticos, só pioram!!!...

O OVO (PICO)


"Falando de ovo/eu gosto é de cozido/Ele é que me deixa forte/pra encarar qualquer bandido/Pegue um ovo de codorna /sempre que lhe der vontade /Mas cuidado com esse ovo /ele é o ovo da verdade"
in RAP DO OVO, Faustão & Sérgio Mallandro

Por Pico.

O OVO

Primeiro você está lá, nos ovos de seu pai, aí você vai para o óvulo quentinho da sua mãe e acaba aqui um dia lendo isso... Desde o começo o ovo ou a idéia dele tem algum papel importante nisto que chamamos de vida. Seja esse um papel à nossa existência biológica, seja esse um papel meramente simbólico, as hipóteses não refutam uma à outra e apontam todas pra uma única realidade: o ovo está lá, sempre, e isso pode querer dizer alguma coisa...

Quantas vezes você já parou para pensar sobre o ovo? Seria meio insensato alguém reconhecer que o ovo é algo “dispensável” à existência do mundo como o conhecemos - insensato pra dizer o mínimo... Todos conseguem reconhecer a importância do ovo, no entanto poucos devem ter parado alguma vez para pensar a respeito...
Mario Quintana disse que o homem pensa para dentro, e disto orgulha-se porque na sua cabeça cabe o universo, como num ovo. O ovo (de novo) para tentar perceber porque às vezes não enxergamos o valor das coisas apesar das suas obviedades...

A idéia de deus não é exclusividade da igreja, isso é outra obviedade que espero que ninguém esqueça quando falarmos de deus aqui, porque não é disso que se trata: falo de deus como algo que compreende todo o universo, como o... Ovo. Essa é a maneira pela qual achamos mais honesto falar de deus, e não interessa saber se essa é a melhor ou a pior escolha: na cabeça do homem está o universo -aprisionado -tal como estava dentro da mão de Deus antes que seus dedos se abrissem na infinita distensibilidade da criação.

Tudo que é (ou pode ser chamado de) humano nessa infinita distensibilidade que chamamos de vida goza de alguma intimidade com o ovo, então já está mais do que na hora de tentarmos ouvir o que ele poderia querer nos dizer.
Se não me engano, até já se disse que a filosofia estaria redimida no dia em que respondesse quem veio antes: o ovo ou a galinha? A resposta que a própria pergunta já sugere não serve como evidência porque ela pode simplesmente ser uma tentativa de acomodação do que nossa experiência afirma sobre o ovo: ele antecede à galinha. Mas, assim como a galinha vem do ovo, o ovo vem da galinha, e aí toda uma problemática de questões que poderiam literalmente mudar a ordem das coisas se instaura: existe um cu responsável pelo ovo que será a raiz de todos os outros ovos vindouros: ou foi o cu da galinha... ou foi o cu de deus.

Se olharmos a questão pelo lado da galinha, na suposição de que ela foi a dona do cu que deu ao mundo o primeiro ovo, a hipótese pode exigir um galo, pode sugerir até mesmo outros bichos: a própria existência humana estará implícita em alguma parte da hipótese, em algum momento; depois do macaco, o nosso parentesco com a galinha começa a se mostrar ao mundo até mesmo como óbvio. A diferença básica é que, largada no mesmo mundo sem respostas que nós humanos, a galinha não se pergunta nada, e o fato de ser ela a responsável pela forma mais perfeita de onde a vida ou a comida foi cagada é tão importante quanto saber sua origem: não merece mais atenção do que o cuidado com seus ovos. E não se entenda esse zelo para com seus ovos como apenas “coisa de mãe”, a disponibilidade da galinha em ser responsável pelos ovos significa a própria sobrevivência dela como galinha: seria algo que podemos chamar de “essência da galinha”, o instinto no qual, para sobrevivência da galinha específica, os mecanismos da espécie buscam, se não a perpetuação, ao menos a resistência por mais tempo. O ovo vindo do cu da galinha, ao mesmo tempo em que é condição mesma pra que a galinha seja galinha, é também um presente que a galinha nos dá, e aí se quisermos ver a galinha como um presente de deus (para que tivéssemos ovos), os ovos seriam “apenas” um presente indireto de deus, pois pertenceriam antes à galinha, ainda que na infinita distensibilidade da criação chegassem até nós simplesmente como ovos.

Agora, se quisermos pensar que deus - na sua comentada onipresença - não aceitou participar apenas indiretamente na confecção dessa perfeição em forma que é o ovo, se quisermos pensar que ele mesmo emprestou seu cu pra isso, bom, aí tudo que se disse anteriormente corre o sério risco de não fazer nenhum sentido...

Se o ovo veio do cu de deus, toda a problemática que cerca a galinha, e que no fundo é a mesma que a nossa, humana, teria na verdade um papel secundário frente ao ovo: se o ovo antecede a galinha, toda ordem se inverte: a galinha passa a ser um mero processo do ovo, o ovo será quem na verdade se reproduz e faz uso da galinha. Poderia-se inclusive falar que o ovo seria quem choca a galinha, e logo toda uma série de conceitos (alguns que eu inclusive já usei aqui) perderia sentido; palavras como ovulação, ovário e outros derivados são palavras que tratam o ovo como um mero acessório do eu: um eu a serviço da vida: e a vida, segundo esta hipótese, não passaria de um acessório do ovo. Ou, dizendo de outra forma: o sentido teria de partir do sentido que teríamos da vida: ela serve ao ovo, e assim as coisas não partiriam mais necessariamente desse eu já gasto: partiriam do ovo. A vida dessa forma não só ganha sentido como também uma finalidade última em manter-se vida: o eterno retorno ao ovo.

A vida como finalidade ao ovo logo faz imaginar a vida como um meio ao ovo: a vida como uma estreita e fina casca, dividindo sim, mas habitando os dois lados: estar dentro e fora ao mesmo tempo, desconhecer qualquer limite entre um e outro justamente porque se é apenas esse limite. Viver o lado de dentro do fora, e vice-versa. Um ovo não quer mais que ser forte o suficiente pra proteger o que ele abriga e, ao mesmo tempo, ser maleável o bastante pra que isso que ele abriga, na sua luta pra abrigar a si próprio, tenha que o quebrar um dia. O ovo, assim como a vida, abriga a própria morte, com a única diferença que a morte cultivada do ovo é a vida, e a morte cultivada da vida é o ovo.

O que se pode pretender com uma teoria do ovo não é uma tentativa de afirmar ou negar alguma verdade, até porque dizer que não existem verdades e acreditar que isso já seja uma verdade demonstra ainda uma relação muita ingênua com as palavras: o ovo esconde o lado de dentro para o lado de fora, assim como a linguagem: um lado complementa o outro sem que, no entanto, nenhum dos dois se toque. O ovo não é o tipo de coisa que pode ser traduzida em palavras, mas que ao mesmo tempo seria um desperdício incrível não tentar traduzi-lo para as palavras: que a teoria do ovo seja simplesmente uma celebração, uma mediação, como o próprio ovo. Amém.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Indigência Intelectual (Tomy Wine&Beer)



Dias atrás caminhava eu num lugar um tanto ermo e soturno quando tardiamente miro um vulto, que de súbito, de mim aproximou-se e apontando-me uma garrucha bradou as seguintes palavras de ordem:
“Perdeu, perdeu preibói ... entrega a carteira! ”
Ouvindo o comando cogente fiquei estupefato! Imaginem só um sujeito querendo assaltar-me! Desapossar-me das riquezas que não disponho! Logo eu um dos maiores pés-rapados da república! Se ao menos pudesse levar minha saúde de leão. Seria por acaso um assaltante com graduação na ULBRA?! Primeiramente, incrédulo como debutante marido corneado tive vontade de espezinhá-lo! Segundos depois, tomado de fúria vulcânica queria vê-lo sofrendo os mais cruéis suplícios imaginados: Esquartejamento, ouvir um disco do FRESNO ou assistir o ALTAS-HORAS ao vivo! Por certo tratava-se de um completo idiota, um parvo, um mentecapto, um, um ... escritor de livro de alto-ajuda ... um ...um leitor da revista Caras! Perdoem o desabafo privilegiados leitores do L.O.U.C.A mas aquilo foi uma demasia.
Um MAL-FEITOR desse gabarito por certo não galgará autos postos em sua profissão. Não chegará a assaltante de banco, e muito menos deputado federal pelo DEM da Bahia.
O fato é que o paspalho charlatão insistia no propósito de possuir minha carteira com um desejo invencível, e ameaçava disparar o berro me encomendando ao senhor.
Realizei seu intento, dei-lhe o objeto de seu fetiche: Uma carteira sem nem um puto furado! Sem talões de cheque, sem cartões de crédito, nem sequer preservativos haviam ali! A única coisa de um relativo valor no interior da carteira era o fone de uma gordinha funkeira da Restinga que eu conheci na saída de uma das casas noturnas do Complexo Cultural da Marechal Floriano.
O embusteiro meliante se foi e olhei para os céus agradecendo por não ter perdido minha fazenda, pedindo a Deus que protegesse os deputados gaúchos Záchia, Padilha, João Luís Vargas, fiéis depositários do nosso dinheiro!
Depois fiquei melancólico ao pensar no pobre patife que levou minha carteira. Que grande banana era aquele assaltante vigarista de araque! Talvez sirva de lição o ocorrido, e ele conclua que não possui vocação alguma para praticar delitos! Espero que tenha algum discernimento em não se converter em evangélico, o que por certo seria uma capitis diminutio ( ou numa língua morta “diminuição de capacidade”, sim morta, uma vez que na maior nação do mundo que a tem como língua oficial nem mesmo o seu chefe de Estado sabe falar), mas o que quero dizer é que o sujeito metamorfosearia-se de predador para presa (carneirinho).
A pior pobreza é mesmo a de espírito.


___

sábado, 15 de novembro de 2008

Minha Primeira Brochada (Sanio)

              

O nome das pessoas citadas abaixo, foram inadvertidamente trocadas, para evitar maiores constrangimentos!
Esse texto é dedicado a Juliéte e sua incrível compreensão!
Eu estava com 17 ou 18 anos, quando esse fato ocorreu.
Ah!...Que saudade desta fase da vida! Aonde minha maior preocupação era concluir o segundo grau!
Filho de pais separados, repetente no colégio, rebelde, maconheiro e com uma franja que ia até a boca!!
Em resumo, eu era o retrato do garoto desajustado!!!
Mas, mesmo assim Juliéte me sorriu!!
Ela foi apresentada a mim, por um dos meus melhores amigos, o André.
Amigo este, que às vezes encontro em Tapes. Lugar a onde se passa essa história!
Well...voltando à Juliéte: -Que menina linda! *Só pra que fique bem claro, "menina" é figura de linguagem!
Seu cabelo, até tinha o comprimento parecido com o meu!!!
A partir daquele dia, já começamos a "ficar"!
Passado alguns dias. Depois de um longo passeio, acabamos na praia... Parecia que finalmente, eu ia dar uma volta naquela Ferrari!!
Aí que começou meu penar!...
Depois de alguns minutos de amassos. Ela estava ali na minha frente...Semi nua!!
- P*@# que pariu! Que "mina" gostosa!!!!
Diante de tanta formosura, da praia silenciosa e do céu estrelado. Eu só poderia arrasar.
Infelizmente, eu só conseguia pensar na "menina" (*vide explicação acima) em que eu era  realmente apaixonado!!
O quê me deixou literalmente, bem cabisbaixo.
E o pior de tudo, é que até chorei de arrependimento!!!
Juliéte, por sua vez, me acarinhou como quem acarinha um bebê.
E eu, mesmo sem querer...
Criei o primeiro "emo" da História!!!

Idiota por Idiota (Hell)


By Renato "Hell" Albasini

E uma das piores coisa do mundo é ser um idiota. Sim, um ser, chamado idiota. Não quem sofre de idiotismo, mas quem nasceu, cresceu e envelhece sendo um idiota. Uma pessoa que se considera além do excepcional e o mais perto que consegue isso é fazer papel de idiota. Ok, todos nós já fizemos ou fazemos esse papel, mas o idiota em questão aqui é o sujeito que usa sua habilidade para constranger o todo ao seu redor, aquele pulha que em sua arrogância fica acima de todos. Um FDP com nome e sobrenome completo. Pode ser teu chefe, teu colega, um vizinho, o candidato que você votou, um administrador de algum cargo público, uma gostosa que o ignora por motivos pra lá de idiotas, como se seu cartão de crédito você o seu cartão de visitas, e por aí vai. Nomeie um agora na sua cabeça já não tão passiva, que remoe todos os rostos de idiotas que povoam essa parabólica do seu cérebro. Os seus olhos se reviram, um ataque epilético está pronto a se manifestar quando você começa a dar nomes a esses bois. Melhor, antes que convulsione, faça uma lista. E não esqueça de colocar meu nome no final.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

ARTE SACRA (PICO)



"Se eu te amo e tu me amas
Um amor a dois profana
O amor de todos os mortais
Porque quem gosta de maçã
Irá gostar de todas
Porque todas são iguais..."
Imortal Paul Rabbit & Raulzito

Opium des Volkes! (Sanio)

Por In.Sanio

Se "A religião é o ópio do povo!" Como disse Marx...
O quê teriam fumado os monges cristãos ortodoxos gregos e armênios no Domingo(09/11/08), em Jerusalém?
Nem nas eleições do todo poderoso United States of America se viu tantos ataques diretos!
Era direto de direita, direto de esquerda!...
E o ringue escolhido pelos monges brigões, não foi nada mais nada menos que o Santo Sepulcro!!!
O encontro dos dois grupos ortodoxos cristãos, só não acabou em tragédia, porque conseguiram ao menos respeitar o sexto mandamento!: "Não matarás!"
Já que só ofereciam a outra face quando baixavam a guarda!! Os portões do Santo Sepulcro são guardados por muçulmanos, talvez porque Alá para eles tem um elo um tanto longíncuo com "Ali "!!!
"Perdoai-os Senhor eles não sabem o que fazem!"

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Origem, meio e desvio

POLEGAR E CARA DE CHINA

Revirando o baú!
Revisado por Renato "HEll" Albasini

Tom of Thumb, esse é o título original de um agente secreto atrapalhado, pra lá de sui generis, que num revezes da vida, ele junto com seu parceiro Cara de China, num dos plantões fazendo a faxina no QG ultrasecreto, acabou acionando a máquina de miniaturização, e os transformou num micro homem, de alguns centímetros de altura. O nome desse herói era Polegar ( na versão original, TOM ) e havia outros personagens além do amigo Cara de China, e do Chefe que se chamava incrivelmente de Chefe, e os seus arquiinimigos, os agentes da L.O.U.C.A.( Lunáticos Observando urubus Comendo Alface), que não queriam mais nada na vida a não ser mandar o mundo pras cucuias! O desenho é do final do anos 60 início dos 70. Psicodelia, doidice e a tradução mais engraçada ainda. Em suma, somos em parte com a filosofia dos Agentes da L.O.U.C.A. Aproveite. E mande o resto as favas!

(POR PICO)



Pico um artista verdadeiro. Doa sua obra ao L.O.U.C.A sem exigir REMUNERAÇÃO! Um artista da LARICA!

domingo, 9 de novembro de 2008

CANALHAS




(Por Cremogema)

Um canalha. Entre os participantes deste conjunto de teorias há alguns canalhas. O PICO, por exemplo. O TOMMY? É um canalha também. Um canalha apaixonado, mas não deixa de ser um canalha. E eu? Segundo o porteiro do meu prédio, eu sou um canalha. Mas só ele acha isso. Talvez até não ache, apenas disse isso para me animar, depois de saber que eu beijei os lábios de uma garota desprovida de formosura...

Depois de três goles de um latão de Polar, faço uma revelação que pode destruir minha imagem perante os leitores: eu não sou um canalha. Com muito esforço, consigo ser um pouco cafajeste. Mas canalha, daqueles que as garotas enchem a boca de ar e franzem as sobrancelhas de uma forma apaixonante ao pronunciarem adjetivo, não. Não rola.

Não preciso dizer o quanto difícil é para mim viver nesta sociedade que tanto exalta a canalhice. Quantas dificuldades isto me causou. Quando eu tinha 12 anos e um dos agentes L.O.U.C.A – um canalha, certamente – lambuzou a minha bicicleta de babosa, eu mal sabia o que ainda me esperava: humilhação pública, desdém alheio à minha pessoa e celibato. É o que espera um adolescente que não lança mão da CANALHICE.

A adolescência é difícil quando não se é um canalha. Mas na vida adulta há um castigo mais doloroso: as mulheres.

PERGUNTA: Que mulher vai querer alguma coisa com alguém que não é canalha?

RESPOSTA: As que têm um bom coração, e sabem valorizar o cara legal.

PERGUNTA: Oquêi, mas nenhuma delas é provida de formosura! Por quê?

RESPOSTA: Porque se elas o fossem, teriam um poder de escolha melhor.

PERGUNTA: E quem elas escolheriam?

RESPOSTA: Um canalha!

Claro, um canalha. O canalha é o que se mostra seguro de si. Se mostrar seguro de si não é o contrário de ser inseguro. É ligar às quatro da manhã e dizer que quer ela em tal lugar com uma calcinha do piu-piu por baixo de suas vestes.

Canalha é o cara independente. E independente não é o contrário de dependente. É não dar muita satisfação para a garota, mas exigir que ela dê todas as satisfações do mundo.

Canalha é o cara que não quer saber se vai agradar ela ou não. Ele só quer a comer. De qualquer jeito. Um ultraje seria se ela não tirasse suas roupas perante a sede de sexo que o canalha tem. Ah sim, o canalha é sedento por sexo. Ele não faz amor. Aliás, os canalhas adoram dizer que o amor não existe. E nada é mais excitante para uma garota do que ouvir um canalha dizer isso. uuuuuh! Elas se jogam no colo deles!

É difícil sofrer esta conseqüência na vida adulta. Eu poderia tentar me tornar um CANALHÃO para me dar bem. Não sei se conseguiria. Mas já tô perto dos 30, não posso perder tempo. Se eu achar uma garota que não se encaixe nas perguntas e respostas acima, terá valido a pena sofrer estas conseqüências.

sábado, 8 de novembro de 2008

Minha Apresentação

por Renato "Hell" Albasini


Vai ser devagar como um conta gotas pingando ácido no seu rosto. A dor será quase imperceptível, mas as cicatrizes ali permanecerão. Esteja protegido e espere algo diferente. Saberá quando vier atrás das sombras, antes de chegar a luz.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

NEO-BRIZOLISMO NECRÓFILO (Tommy Wine Beer)



Parece que a SUSPEITA de Brizola em relação às urnas eletrônicas não eram disparates em razão de sua senilidade. Uma vez que caracteriza um CONTRA-SENSO DO CARALHO o FATO de que o bom velinho no fim de sua trajetória neste plano terreno perdia eleição até pra síndico de condomínio e PARADOXALMENTE agora que JAZ virou referencial. Aquela história "a voz do morto que não presta depoimento". E o VELHO CAUDILHO deve estar a contorcer-se em seu JAZIGO em razão de que uma VIL CATERVA DE POLITIQUEIROS DE BAIXO JAEZ amam associar seu nome a um dos grandes VULTOS da nossa ESCROTÉSIMA CENA POLÍTICA. Incrível mesmo, depois que o velinho morreu todo mundo virou Brizolista! Aquelas urnas eram um ENGODO!

E o apoio político de um membro da linhagem dos Brizola sempre é bem vindo em tempos eleitorais, mesmo que seja um parentesco nem tão próximo assim: Outro dia num jantar de uma candidata local, cujo partido encontrava-se em trincheira oposta ao tão desavergonhado adesista de plantão PDT, apresentou uma senhorita que era sobrinha-neta de uma tia-avó de um primo de 3º. Grau, de um vizinho de um tio de um leiteiro da fina linhagem dos BRIZOLAS, com o propósito de duvidosos ganhos eleitorais.

A propósito se na política sobrenome Brizola faz votos pra caray, pro moleque no colégio nem deve ser tão bom responder por Brizola, uma vez que um coleguinha parnasiano de plantão pode lançar mão de seu estro poético, homenageando o vivente com rimas nem tão lisonjeiras, como Brizola coça aqui as minhas bolas, ou Brizola dá uma pegada na minha pingola!
___

Apresentando Agentes da L.O.U.C.A - Lunáticos Observando Urubus Comendo Alface (Tommy Wine Beer)


A idéia é de uma tentativa ousada & descabida de PRODUÇÃO DE CONTEÚDO crítico-reflexivo-deleitoso, tomando como matéria-prima as atividades de nossa cidade, Porto Alegre, ou até mesmo em Nova york ou Arari, utilizando como ferramenta todo um cabedal de experiências de nossos insignes agentes, dotados de um sem par clínico olhar perscrutador, lúcido, humorístico, irônico e sarcástico (tá bom!, algumas vezes néscio, tautológico, tosco e óbvio), via de conseqüência, atacando valores, costumes, vícios, instituições, politiqueiros profissionais, em síntese apertada, ULTRAJANDO O BUNDA-MOLISMO NOSSO DE CADA DIA!
Agentes da L.O.U.C.A são (exceto alguma DESERÇÃO): Hellraiser, Garça,Preu, Sannio, Pico, Cremogema & Tommy.