quarta-feira, 31 de outubro de 2012

"Suposto Fórum Íntimo Do Carcará" (Sannio)

-->



-->

Arrastava o rabo sujo em busca de uma porta entreaberta.
E minhas fezes se espalhavam pelo chão e pelas minhas calças.
Na minha vergonha e no meu nojo crescente.
Chorava e cuspia em meu rosto e no chão.
Urinava agora em minhas coxas.
E minhas mãos trêmulas, avançavam metro a metro, sobre o piso frio.
O chuveiro pingava as suas gotas de solidão.
Havia uma lembrança de um banho.
"Foi essa semana!"
O pentagrama pintado com sangue, escorre pouco a pouco no ralo do banheiro.
Minhas tripas fedem e pulam do meu estômago. Com toda a minha imundície.
Minha visão torna-se turva.
Há um fedor de carne decomposta, vindo do corredor.
Quero vomitar, mas não consigo.
"É assim que se parece a morte?"
"Como fede!"
Estou cansado.
Vejo um vulto alto.
Parece uma moça...linda!
Ela tem asas atrás das costas.
"Linda!"
Não consigo parar de chorar.
Ela se aproxima.
"Tão linda!"
"Brilha tanto!"
Beija suavemente meus olhos. Para a minha surpresa (agradável surpresa).
"Hmm..."
- Você é um anjo? - gemo.
- Não! - ela responde.
- Eu sou! - retruco.
Adormeço.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Também Quero Ver a Porra Jorrar! (Ângelo Tomiello)

-->


PORRA!!
Agora sou um agente da L.O.U.C.A!!
Aí então meu chefe, Tommy Wine Beer, me pediu que escrevesse uma coluna de apresentação aos leitores e grande público da L.O.U.C.A.
Assim, utilizando como mote a coluna que o senhor Beer escreveu intitulada “Ora quem Diabos é Ângelo Tomiello?” me apresento!
Sim, ainda sou um sonhador desavergonhado!
Sim, de cóóração mole como pudim!
Sim, de cérebro e estômago insaciáveis!
Sim, ainda um cara ½ errante!
Ainda a procura do som, do fedor e da loucura das ruas. Yes!
Lastimo já não ter a cama quente e um prato de comida  me aguardando na casa da vó em Ipanema.
Lastimo mais ainda não ter a querida vó!
Ainda me perco em devaneios de grandeza artística ao mirar os prédios da Cidade Baixa.
Nas noites quentes ainda almejo degustar super-porções de fritas com queijo do Perimetral, e Heinekens no finado Cachorro do Élio.
No mais, é escrever as colunas que Tommy já me encomendou!
Embora não me sobre tanto tempo assim pra escrever, devido as muitas tarefas que ele me exige, quase todas relacionadas à sua sede interminável.
Cafés, vinho, cerveja...
Mas ele quer as colunas!
É como ele mesmo diz “quero ver a porra jorrar”!
Eu também quero!

POLÍTICA NÃO DEVERIA SER O MESMO QUE FODER CU DE GATO (Tommy Wine Beer)

-->



“não dá pra diferenciar um louco de um são aí pelas ruas, e de repente, quando se vê, as nossas vidas dependem mais uma vez de verdadeiros idiotas. “ Charles Bukowski


Alienados em nível extremado não deveriam votar! 
 
Caramba, se o camarada não faz nem ideia da diferença entre direita e esquerda, ele não deveria votar. 
 
Devia sim é pular da ponte do Guaíba.

Nos últimos anos pensei muito nestes notáveis eleitores quando precisei de um tratamento urgente do SUS (quebrei um dente e puseram um algodão no buraco, por exemplo). Ou quando esperei uma porra de um ônibus aos fins-de-semana ou de madrugada.

Minha sorte é que ainda não precisei dos serviços públicos carcerários!

Bem, sobre os eleitores é o seguinte: se você herdou seu pensamento anti-esquerda por osmose de seu papaizinho e mamãezinha, que lhes pagam o aluguel, estudo e os bifinhos, bem, você deveria se envergonhar disso e também não ir votar.

Saiba que você não é liberal, capitalista, socialista ou trabalhista. Você é um bundamolista! Ou um babaquista!

Agora se você é um direitista convicto ok. Respeito. É do jogo político. A velha luta de classes.

Não sou um maniqueísta. Acredito, inclusive, que possam existir pessoas de direita honestas. Todavia não existem partidos de direita honestos no br. 
 
Logo, se você é um direitista honesto man, se tá fodido. Sugiro que anule seu voto, vote em branco. E não perca tempo. Funde um novo partido de direita! Uma espécie de PSOL de direita, um partido que se preocupe com o combate a corrupção e que seja formado de pessoas com algum idealismo, algum pensamento crítico, só que com um programa de direita, liberal ou conservador.

Não quero acreditar na frase do meu pensador alemão predileto. Não é Marx, nem Nietzsche. É o velho Bukowski! Que sentenciou “política é o mesmo que foder cu de gato.”

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Carta à LOUCA (Sannio)






Querida Louca:

Pensei muitas vezes em escrever-te.
Vejo agora, que mesmo que eu transcorra todos os meus manifestos e sentimentos. Não me entenderás.
E como poderia?
Teus olhos que conheceram uma inacabável série de fenômenos, casos, causos...
Ainda assim, não saberia distinguir meu sarcasmo da minha honestidade.
Pobre louca, que tantas vezes foi comparada a minha própria insanidade.
Definha agora sem prantos na partida.
Está morta e viva.
Dentro de mim.
Foi minha amiga muitas vezes também.
Meus ouvidos e meus olhos.
Minha boca, em meus dedos.
Não sou bom de despedidas.
Tampouco, em aceitá-las.
E você que nunca foi minha.
Assim como as outras.
Não és minha, nem nunca será.
Amaldiçôo o dia que te conheci.
Pois me mostras-te a liberdade.
E agora pereço.
No silêncio.

Da minha consciência (onde quer que ela esteja).

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Epílogo (Sannio)




Tempo.
Condição de quem tem.
Nenhuma ligação emocional aparente.
Esquina com a Duque encontram-se os artistas.
E seus egos.
Seus cortes de cabelos de Lego.
Suas calvícies insuficientes de vitaminas.
E de uma genética melhor.
Vaidade, vaidades.
De todas as idades.
Excentricidades.
Um suicídio comentado.
E o ego deixado de lado.
Minha esquina agora tem menos carros.
Que sarro, o catarro.
Atirado no ar, sem lago.
Nem lagoa sequer.
Laguna por certo.
Decerto lembrada por um bom geógrafo.
Filósofos sem diplomas comentam as novidades da cidade.
Fofoca.
Não importa.
Estou bem.
E fecho a porta.
Adiós!

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

CIDADE BAIXA EM CARÁTER CONTRACULTURAL ou A "CB" QUE QUEREMOS! (Tommy Wine Beer)

-->



O prefeito de poa (PELO PROVINCIANISMO, PELO BUNDAMOLISMO A CIDADE MERECE SER GRAFADA ASSIM MESMO, "poa", ABREVIATURA EM LETRA MINÚSCULA, PORRA!), Fortunatti-PDT, desenvolve um projeto de escoteirização da Cidade Baixa.
É, quer torná-lo um bairro escoteiril! Fechando os bares que vendem cerveja barata (como o Cachorro do Élio, ora e a porra da autonomia da vontade?, deixa o povo se “droguear” se quiser, adorava a porra do delicioso semi-insalubre cachorro quente do Élio!). Acabando com o único socialismo que deu certo: o socialismo etílico.
Ainda que haja a luta vã de alguns quixotes, em transformar a província num lugar menos bunda mole, na real, falta a poa mais pau-durescência! Porra, o cara olha revistas e vê bairros boêmios pelo mundo afora, locais onde moram um monte de artistas! Lugares aparentemente agradáveis pra chuchu! E pq. não podemos ter isso aqui!?
Quase tudo é caro e bobo aqui! Exceto por alguns lugares caros e bacaninhas.
Quando moleques, Garça, meu primo, e eu, vínhamos de Ipanema passear na CB, para nós, “C.E”, era a Cidade Experimental! Em nosso imaginário semi-interiorano (pq. Ipanema era/é um cu virgem), a CB era um lugar louco do caralho onde a experimentação etílica, sensual e artística era elevada a condição de lei, de religião!
Caramba é o lugar onde, no passado, servia de esconderijo aos escravos fugitivos e aos “bandidos”, UAU!
Tomávamos nossos porres de ordinários vinhos e tentávamos bater papos com outros “subterrâneos”. Falar de livros, biras, filmes, sexo, política, contar lorotas. Era um grande barato!
A prefeitura tinha que desapropriar as residências dos chatos, mandá-los pro Belém Velho talvez!
Tem um material da Fernanda Melchionna, a pessoa mais coerente na defesa da CB, candidata/vereadora do PSOL, defendendo a Cidade Baixa como bairro cultural. Eu vou além: quero a CB como bairro contracultural!