quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Um vinho chamado Ventura (por Tommy Wine e Beer)





É preciso fé e poesia pra se viver.
Eu? eu escrevo minha poesia escrachada
(Que só eu mesmo considero genial,
e fico numa espécie de punheta poética:
sempre arranjando um tempinho pra me reler).
E assim vou aguentando
os jabs que a vida me reserva.
E a minha fé?
Dylan e Buk são meus Deuses!
e ainda possuo fé de que
pisar em merda de cachorro
dá uma puta sorte!

Então logo chegará o dia
em que o meu raciocínio será tão rápido
quanto a minha ejaculação
e a minha ejaculação, por sua vez,
demorará tanto pra chegar quanto
o meu raciocínio atualmente.

E eu absorverei informação com a mesma
volúpia e intensidade quanto absorvo bebida alcoólica
e talvez eu tenha um emprego onde direi desaforos
a sujeitos que usam gravatas e distintivos policiais.

E a noite irei pra casa onde as irmãs Willians
me aguardam numa banheira cheia de Heineken
e em suas tetas beberei de um vinho chamado Ventura!

Um comentário:

Lady Murphy disse...

Sou obrigada a bater essa punhetinha pra você também.
Achei genial esse texto. Genial talvez seja até pouco.

Chega.

Por hoje é só.