quarta-feira, 7 de abril de 2010

DO REALEJO DO MACACO CEGO, AMANTE DAS BORBOLETAS SUICIDAS (FINAL), por SANNIO


Eu nunca havia pisado em uma comunidade hippie, até aquele dia. O endereço conferia com o que aquela garçonete havia me dito, que na real, era a dona daquele boteco de quinta. Verônica. Verônica era o seu nome!

"Ah!... Verônica!" Só de lembrá-la, já fico de pau duro!
Perguntei o seu nome pela segunda vez, quando trepávamos pela segunda vez. Já que ambas primeiras vezes se apagaram da minha memória.

“- Beba! Isso é um santo remédio para curar todas às suas feridas, gordinho!"- ela sussurrou, quando eu chupava suas tetas, na cozinha do seu muquifo (a casa, não o bar). Foi nesse momento que minhas lembranças começaram a ficar confusas. Na comunidade me ofereceram a mesma bebida: o Daime.

Verônica me disse que comprava um litro todo mês, de sua prima Cíntia, uma "riponguinha”, bem jeitosinha, de peitinhos pequenos, apontados devotamente para o céu. Uma cinturinha fina de bailarina. Que na verdade era apenas fruto do seu vegetarianismo. Suas ancas não eram muito largas. Mas pareciam bem firmes e apetitosas também. Cíntia em pouco tempo na "cidade", conseguira emprego.

Saul Bone a descobrira vendendo artesanato na esquina de seu escritório. Na mesma semana, sua secretária foi despedida. E Cíntia ganhou um novo emprego.
Uma das primeiras pessoas a me receber na comunidade foi Cíntia. Saul apareceu em seguida, com uma roupa ridícula, um cabelo bizarro e exalando maconha. Todos na comunidade me receberam bem.

Uma garota ou outra, com uma atenção maior...

Saul se negou a voltar comigo. Mas foi muito simpático. Até pousou para as fotos!
Cíntia conseguira docemente, arrastá-lo da caótica vida da metrópole. E libertá-lo da fome por jóias, da sua esposa gostosa.

- Senhor Ledo!O Senhor está prestando atenção ao que lhe digo? - berrou a tesuda.
-Eu preciso ir Senhora Bone! - disse.
- E o meu marido Senhor Ledo? Ou seria Senhor Leno? - miou.
-Tudo está explicado na carta Senhora! - respondi.
-Senhor Ledo!... -berrou como uma cabrita no cio.
"Tú!Tú!Tú!Tú!Tú!Tú!..."


______


FIM!


créditos finais:


seleção de imagem: Tommy Wine Beer



5 comentários:

Agentes da L.O.U.C.A disse...

Não interessa os que não entenderam a experiência estética... ou estilística, velho! Porra, e tu já tinha até resenhado o "PULP" do Bukowski aqui no blog... tu tens escritos parnasianos... parnasopunks...afinal, esse blog não é composto por um grupo de escoteiros!
Eu achei do caralho!
Ass>: Tommy Wine Beer.
P.S - Quiça, assisteremos o jogo do colorado no Centro, acompanhados de jarras de vinho de mesa de 6 pratas!
abraço!

paul.eric disse...

Aêêêhhh!!!!!!!...
É nóis truta!!! xp

pretissima. disse...

eu curto escoteiros.

Raphaela Flores disse...

PARABENS

paul.eric disse...

Estarei,ainda com vcs,apenas sumido.Às vzs...

:}