quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

"Dois olhos verdes" (Sannio)

Como dois becos escuros.
Duas discussões de namorados.

Dois amantes à procura de abrigo.
Dois velhos negociando com duas prostitutas asiáticas...


Foi assim que te vi...Em dobro!
Uma visão turva e embaçada da vênus.


Um golpe que pareciam dois.
Uma dor que doeu por dois dias.


Uma saudade que me trouxe melancolia de duas semanas.
Uma esperança que virou ceticismo em dois minutos.


Um de frente ao espelho. Nú!
Lembrando daqueles dois olhos verdes.


Daqueles dois!

4 comentários:

paul.eric disse...

E ainda tô lembrando...

Desarmados disse...

Dois olhos verdes da Cor da fumaça / e o veneno da raça!

paul.eric disse...

Hahaha...Pode crer "cabeludo"!
;P

Agentes da L.O.U.C.A disse...

Do mundo da poesia etérea para o mundo da prosa suja do cotidiano: E um par de guampas não?
ASS.: Tommy wine Beer.