sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Sombra ( por Sannio)


Queria pedir socorro
e dizer que não farei de novo
que as escolhas que agora recorro
são desaforos e também esporros


Queria me ver de novo
Sentir minha boca com outro gosto
E não mentir por entojo
Não mentir de novo


Queria esquecer com um sopro
E subir as nuvens
Mandando beijos ao povo


As madalenas mijar em gozo
As rosas buscar tristonho
E sorrir ao chorar, abandono.

5 comentários:

Agentes da L.O.U.C.A disse...

Eis um soneto sannista! Será reflexo do carnaval?
ass: Tommy

paul.eric disse...

Hahaha...Não foi antes!O carnaval foi bem mais agradável...
Ass:Walter Ego

Renato "Hell" Albasini disse...

è um soneto misturado com um haikai pós moderno de fetichismo, altruísmo e uma porção de coisas que se dissolvem embaixo da língua....

Agentes da L.O.U.C.A disse...

Talvez por este aspecto psicodelista eu não tenha compreendido o verso "as madalenas mijar em gozo" ...

mas provavelmente tenha sido por absoluta INÉPCIA!!
ass>>tOMMY winee Beer

paul.eric disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.