terça-feira, 27 de abril de 2010

“O Professor, o Estranho e a amiga da minha Mãe” (Sannio)


1
Havia poucas coisas na vida que eu realmente gostava de fazer. Uma dessas poucas coisas era assistir à aula de Educação Física das meninas.
Estava contando então, com quinze anos.Meu pai estava preso pela segunda vez. Por dirigir embriagado.Sinceramente eu não entendia como podiam prender as pessoas por dirigirem alcoolizadas em uma via pública.
Anos mais tarde, fiquei sabendo, através de uma cafetão sexagenário, com quem eu comprava "rapé" bimestralmente, que pessoas abordadas pelos porcos, enquanto recebem sexo oral, estando estacionadas no meio fio com os faróis acessos, são comumente detidas.Vivendo e aprendendo!
Estava quase reprovando no colégio. Mais uma vez... a maldita Matemática.
Para que aprender sobre todas aquelas frações? Eu queria jogar bola! Não ser agiota quando crescesse.
Eu julgava extremamente desnecessário na época. Isso foi antes do meu primeiro divórcio.
E de chegar ao meu advogado, os valores estipulados pelo juiz, para o pagamento das pensões atrasadas.
Eu já podia sentir o calor do cinto estalando no couro da minha bunda. E também já podia ver minha mãe vindo em minha direção babando. Fazendo aquela cara de fantasma de filme oriental.
Assustador pra caralho! Realmente de cagar as calças!
Quando um milagre aconteceu!... Vi saindo da casa de Dona Margareth o filho da puta do Sr. Oliveira. O meu professor de Matemática!
A saber, sobre Dona Margareth: prostituta desde os vinte e sete anos de idade.
Dona Margareth era mais uma vítima do sistema: que a demitira injustamente de um emprego, em que trabalhou por oito longos anos.
Ex-namorada de um dos maiores beberrões da cidade. Figura essa melhor amigo de papai: O Seu Rob. Um pau d’água filho da puta. Que insistia em procurar pelo meu pai justamente quando este não estava em casa.
Pois Seu Rob engravidou a pobre coitada da Dona Margareth há alguns anos. E sumiu no mundo. Nunca mais foi visto.
Papai desconsolado, lamentava os cinquenta mangos, que emprestara ao amigo.
Seu Rob. Rob Oliveira! Irmão do cara de fuinha do meu professor!
- Isso não está me cheirando bem! – disse coçando o queixo.
Enquanto isso, um filhote de gato cagava no meu tênis.
(continua!)
____________________________

6 comentários:

Agentes da L.O.U.C.A disse...

"eNqto. isso um cachorro cagava no meu tênis..." algo literalmente, cheirava mal!Hehehe!!!
GO AHEAD!
Ass.:Tommy.

Desarmados disse...

HAHAHAHAHAHAHHAHAAHAHAHAHAHAHAHAHHA



SR: OLIVEIRA!



E O PIOR É QUE ENQUANTO LIA " A INSPIRAÇÃO" ESTAVA NA MINHA FRENTE, Hahahahahahahahahahaha....







HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHA

paul.eric disse...

É F.D.P,ou não é??? :p

Desarmados disse...

bah...SE é.

Posta a outra parte aí "tapense"

hahahaha



abs

Agentes da L.O.U.C.A disse...

Piada interna é covardia!

Ass>: Tommy WIne Beer.

paul.eric disse...

xD