quinta-feira, 17 de junho de 2010

Medo da Chuva (Sannio)


"- Ela quer namorar!"- disse a melhor amiga, de uma quase namorada.


Eu gostava do "quase". O quase impedia o momentâneo de se tornar eterno. O que não havia acabado, de ser escrito. De ser publicado.


Acho que eu admiro o "quase” até hoje. Me trás uma sensação de liberdade. A falta de compromisso com outra pessoa. É tão bom!


Não é sempre que tenho esses pensamentos egoístas. Nem é sempre que me defendo das acusações que eu mesmo levanto contra mim.


Mas é quase sem querer que gostamos. Que eu gosto, ao menos. Que eu me "apego"! Como eu dizia antes. Antes de aprender a dividir um pouco.


As velhas aulas voltam às vezes. Às vezes, os velhos fantasmas também. E eu sigo fazendo merda!

2 comentários:

Raphaela Flores disse...

a idéia do quase é ótima, curto muito tb! vai na mesma linha do "um dia, quem sabe, talvez"... por isso o "umdiaeucomeco"!

Agentes da L.O.U.C.A disse...

O eterno embate entre a personalidade emo e a Chinaskiana de Sannio. Qual vencerá?
Ass.: Tommy Wine Beer